Deixando o GNOME perfeito

O universo Linux tem como vantagem as inúmeras opções de escolha. Seja a distribuição, ambiente, formato de empacotamento, versões do kernel, enfim, há gosto pra qualquer tipo de usuário e talvez esse princípio seja o que mais agrada a gregos e troianos na hora de escolher o que melhor atende a necessidade e gosto de cada um.

Quando o assunto é interface gráfica, as opções se perdem, desde as mais simples até aquelas que exigem um certo grau de conhecimento e refinamento. Há também as que usam mais recursos e aquelas que primam pela leveza, enfim, tem gosto pra tudo e para todos.

Iniciei minha experiência no KDE 2 e terminei na versão 4 no saudoso Conectiva Linux. Com o GNOME minha jornada iniciou na versão 5.04 do Ubuntu e durou até a migração para o Unity. Com a mudança de direção da Canonical para o GNOME e após migrar meus computadores para o Debian 9, resolvi optar pelo GNOME novamente. O KDE Plasma é perfeito, o XFCE é sem dúvida um primor, porém, o GNOME ainda é aquele que atende melhor as minhas necessidades. O problema é que como foi concebido na versão 3, arriscaria dizer que é de doer o coração. Ainda não sei porque insistem nessa mania de convergência do desktop, mas isso e assunto para uma postagem futura.

Pois bem, após instalar o Debian e deixá-lo conforme minhas necessidades, era hora de dar um “tapa” no visual. Já manifestei isso em algumas postagens no twitter e por aqui também. Ainda sou adepto ao padrão “janelas”. Eu só fiz as pazes com o Unity porque deixaram eu colocar a barra de aplicações na parte de baixo de minha tela. Se não fosse isso, talvez estaria de implicância com ele até hoje.

Uma das minhas prioridades após instalar o Debian era moldar o GNOME de acordo com minhas necessidades de uso. Primo pela simplicidade do ambiente. Quanto menos firulas, melhor. Há quem curte informações, ícones e por aí vai, já até fui adepto, hoje gosto do básico. Para executar as alterações que precisava, fui para o GNOME Extensions. Antes de aportar por lá, pesquisei dicas valiosas em busca das melhores extensões para deixar o GNOME redondo e mais produtivo. Após catalogar e testar aquilo que necessitava, coloquei a mão na massa e parti para o abraço.

As melhores extensões para o GNOME na minha modesta opinião são aquelas que primeiro, atendem minhas necessidades e em segundo plano deixam o ambiente digamos, usável. Abaixo listo o que uso em meu desktop e uma breve descrição do que elas fazem.

01 – Arc Menu – Extensão que possibilita inserir um menu estilo Cinnamon. Suas configurações são simples e permitem setar o logo da distribuição, tamanho e ainda colocar um texto personalizado.

02 – Dash to Panel – Talvez a extensão que mais me agradou até o momento. Com ela podemos colocar a barra superior do GNOME em qualquer lugar e ainda inserir ícones personalizados. É aquela extensão indispensável para dar aquele toque final na interface. Ela pode ser colocada tanto no topo quanto nas laterais. Vai agradar aos órfãos do Unity na nova versão do Ubuntu.

03 – Gnome-shutdown button – Um dos grandes gargalos, especialmente para os que nunca mexeram num ambiente linux é encontrar certas opções. Todos sabemos que para desligar o sistema no GNOME é necessário clicar nos ícones da barra do sistema e mandar desligar a máquina. Nada intuitivo para quem está chegando. Essa extensão tem como finalidade simplificar o processo. Habilitada, ela coloca um ícone de desligar na barra e reduz ao mesmo tempo a quantidade de cliques para desligar o computador. Simples e útil.

04 – Openweather – Essa é maquiagem. Gostei dela por que nos últimos dias, em virtude da onda de frio que passou por aqui, possibilitou verificar a quantas andava a temperatura. Frescura útil. É bem personalizável e pode ajudar informando se vai chover ou não, apesar que nem sempre é 100% preciso.

05 – Topicon plus – Essa é outra extensão que me agradou muito. Na moral, os desenvolvedores do GNOME mataram as aulas de “Interface Homem X Máquina”. Aquele negócio de ter que clicar numa seta para ver as aplicações que estão rodando em segundo plano é ridículo. Essa extensão simplifica aquela bobagem, colocando os ícones na barra principal. Muito, mas muito útil e pelo menos não tão bisonha quanto a original.

06 – Transparent gnome panel – Outra extensão que vejo como maquiagem mas que da um plus a mais na personalização. Bem que poderia por exemplo ter a opção de configuração mais avançada, deixando a barra com o efeito “blur” ou algo semelhante. Ela é bem simples, deixa o painel transparente, dando um ar mais clean e menos pesado ao desktop.

07 – User themes – Essa vem por padrão, porem desabilitada. Possibilita ao usuário escolher e setar algum tema instalado.

Instaladas as extensões, basta configurá-las conforme seu gosto e necessidade e usar e abusar. Vale lembrar que para a instalação das extensões é necessário que a extensão chrome-gnome-shell esteja instalada no navegador, no caso aqui o Firefox. Na maioria das vezes o próprio navegador se encarregada de informar sobre essa necessidade. Se não ocorrer isso, busque por ela na loja do Firefox.

Além da extensões, há aquele toque pessoal na intertace. Um belo papel de parede, um bom tema e por fim um conjunto de ícones bem top pode valorizar muito seu desktop. O GNOME tem um conjunto de ícones bonito, porém, existem opções mais bacanas. Aqui uso o conjunto Obsidian Icon Theme. O tema é baseado nos ícones Faenza, sendo otimizados, deixando o ambiente agradável e bonito.

Já para a interface baixei dois temas. O primeiro o OSX-Arc e o tema Arc. O primeiro pode ser baixado em formato DEB e instalado pelo Gdebi ou com o comando no terminal:

sudo dpkg -i  nome_do_arquivo_baixado.deb

e o segundo conjunto de tema, o Arc, pode ser instalado com o comando no terminal:

sudo apt install arc-theme

Feito isto é só personalizar seu desktop de acordo com seu gosto, aplicar aquele papel de parede da hora e usar e abusar de sua criatividade. Da pra usar inclusive a versão dark nesses dois temas, deixando o ambiente ainda mais hard.

Finalizando, as opções de personalização não param por aqui. Existem outras extensões muito interessantes, além é claro de outros belos ícones e temas para seu GNOME. Tem alguma sugestão? Deixe aí nos comentários e compartilhe conosco sua experiência de personalização de seu desktop.

Até a próxima!

Anúncios

Personalizar é preciso

Um dos grandes baratos pra quem utiliza distribuições Linux é o poder de personalização. O amadurecimento do GNOME e KDE, ambientes que sofreram mudanças radicais nos últimos tempos, já permite ao usuário dar seu toque final, deixando o desktop bonito e agradável ao uso. Além dos dois ambientes citados,  o XFCE, Cinnamon, Mate e tantos outros possibilitam dar aquele gás na área de trabalho.

O GNOME, meu ambiente predileto,  com a mudança radical da versão 2 para 3, perdeu sua funcionalidade no quesito usabilidade e também no poder de personalização, fazendo com que me afastasse do projeto, buscando outras alternativas existentes. Um aspecto que deixo claro é que ainda sou apegado ao modelo janelas, visto que para as minhas tarefas, ainda é, sem dúvida nenhuma o melhor para minha produtividade.

Passei pelo KDE, XFCE, Cinnamon, Mate, LXDE e por fim o Unity, especialmente no Ubuntu 16.04, onde pude definitivamente retirar aquela barra lateral e colocar ela embaixo, deixando o desktop mais “minha cara”.

Pois bem, sempre deixei uma máquina com o GNOME instalado, onde realizo meus testes na interface, buscando uma maior otimização. O legal do GNOME Shell no entanto são as extensões. Através delas o usuário pode conseguir resultados bacanas na otimização do desktop. Assim sendo, com base nos meus últimos testes e, após um feedback positivo de algumas pessoas, resolvi descrever de forma sucinta meus ajustes até chegar ao desktop ideal. Vale lembrar que, nem sempre o que me agrada, vai te agradar, porém, a extensões que usei podem lhe ser úteis para personalizar o seu ambiente, deixando-o com a sua cara.

Para dar um toque “janelas”, o qual eu ainda sou adepto, usei a extensão Dash to Panel. Ela pega o painel superior do GNOME e posiciona-o de acordo com sua necessidade. Pode ser mantido no topo ou embaixo. A grande sacada dessa extensão é que ela permite adicionar ao painel, atalhos dos aplicativos, além de otimizar a barra de forma a distribuir melhor as informações. Você pode baixar a extensão clicando aqui.

Após instalada as extensões dash to panel e transparent gnome panel, basta o usuário configurar o painel de acordo com sua necessidade.
Configuração da extensão dash to panel com painel colocado embaixo e configurações específicas dos ícones e espaçamento.

Para dar um toque mais clean, visto que a barra permanecerá na cor preta, você pode usar a extensão Transparent Gnome Panel. Ela não tem uma configuração detalhada. Ao ser instalada ela deixa a barra transparente. Existem outras soluções para tal, inclusive possibilitado configurações avançadas, porém recomendo esta, a qual pode ser instalada por aqui.

No detalhe, o painel transparente com o uso da extensão Transparent Gnome Panel

Por fim, apesar de bonitos os ícones do GNOME, optei por algo mais moderno. Usei por um tempo os ícones FAENZA, só que uma nova variante desses ícones surgiu, a qual na minha opinião deixou a interface mais bonita. Para esse ajuste instalei os ícones Obsidian-1. No terminal digite:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons -y

sudo apt update && sudo apt install obsidian-1-icons -y

 

Pra finalizar a mudança, instalei também o tema Adapta-Gtk. Este tema trabalha com o conceito material design, o que da um toque especial na interface em conjunto com os ícones Obsidian-1. Para instalar o tema, digite no terminal:

sudo add-apt-repository ppa:tista/adapta -y

sudo apt update && sudo apt install adapta-gtk-theme adapata-backgrounds -y

 

Feito isto, basta personalizar a sua interface de acordo com sua necessidade, dando seu toque pessoal ao desktop e aplicar um papel de parede de sua preferência.

Antes de finalizar, lembre-se que para instalar as extensões do GNOME na sua distribuição é necessário instalar um plugin para o Firefox. No Chrome esse plugin já vem instalado. No Firefox, em extensões, procure por “chrome-gnome-shell” e proceda a instalação. Assim será possível instalar extensões através do site GNOME Extensions.

Gostou da postagem? Deixe seu comentário e até a próxima!

Precise Pangolin, o Ubuntu mais que perfeito

Ontem, 26Abr12 foi um dia significativo para a comunidade Ubuntu, enfim saiu a mais nova versão do sistema operacional da Canonical, e com ela, inúmeras novidades. Em especial destaco um Unity mais maduro e estável e de quebra a tão solicitada customização.

É certo que ainda faltam muitas coisas a serem feitas, mas sejamos justos, a empresa do Tio Mark deu uma boa guaribada nessa versão, tornando-a talvez, uma das que mais sofreu modificações e melhorias nos últimos tempos.

Neste post pretendo sugerir dicas de como dar aquela personalizada em seu Ubuntu, mais ou menos igual a imagem acima. Uma das maiores reclamações dos usuários estava ligada exatamente a possibilidade de mudar a cara do sistema, dando um toque pessoal na área de trabalho, seja com temas, ícones e papéis de parede. Esse era sem dúvida um dos maiores problemas do Unity. Hoje porém já é possível dar um charme ao ambiente sem ter que fazer configurações mirabolantes, bastando instalar aplicações como o MyUnity ou o Ubuntu-Tweak, para assim mudar o sistema sem sofrimentos.

Gostaria de deixar claro que minha intenção é  de trazer dicas de outros sites, os quais sempre visito e aprendo bastante. Deixarei os links abaixo e no corpo do texto, pra facilitar chegar nas soluções que escolhi.

Como na imagem no topo, não fiz mudanças significativas. Optei pelo tema padrão Ambiance, o qual me agrada bastante. Instalei apenas um novo conjunto de ícones (FS-Icons Ubuntu) e o Conky-Lua, tendo assim um resultado bastante agradável.

É óbvio que você pode fazer bem melhor, para tanto, basta seguir as dicas preciosas dos sites sugeridos, e você terá a possibilidade de fazer bonito com a personalização de seu sistema.

Pra começar, sugiro uma boa lida neste post do blog UbuntuBR Santa Catarina. Com essas dicas você já pode começar a instalar aplicativos, ferramentas e plugins que vão dar uma nova vida ao sistema. Poderá ainda personalizar o Nautilus, atualizar drives, adicionar repositórios úteis e programas de configuração que deixarão seu Ubuntu tinindo.

Pra quem gosta de explorar temas e fazer experiências, o GNOME-LOOK e o deviantART trazem boas opções de customização. Nestes dois sites você encontra uma infinidade de complementos que vão deixar muitos usuários de outros sistemas de boca aberta. Recomendo explorá-los sem moderação. =)

Outro site muito legal e que possibilitará aos usuários dar aquele tcham é o Ubuntued. Ali existem ótimos tutoriais que vão de configurações básicas, até receitas mais avançadas de como fazer o Ubuntu ficar ‘s wonderful! Além de excelentes tutoriais, o site possui um ótimo fórum de discussões, e de quebra mostra o trabalho dos usuários na intitulada Série de visuais, espaço aberto pra quem quer mostrar a cara de seu linux.

Pra finalizar, deixo dois links pra  instalar o Conky. Pra quem não saber, este programinha mágico possibilita colocar no desktop informações básicas e/ou avançadas do sistema operacional, dando uma característica moderna no visual. Neste link você vai aprender a instalar o Conky básico, já neste, segue um tutorial em inglês de como instalar o Conky-Lua, uma nova versão do aplicativo, que vem fazendo bastante sucesso entre os usuários Linux.

Abaixo deixo também links de ótimos sites que podem ajudar bastante no processo de configuração e resolução de problemas de seu Ubuntu.

Ubuntudicas, Viva o Linux, Ubuntued, TutorFree, Ubuntero, Planeta ubuntu Brasil, OMG Ubuntu, Ubuntu Blogs, Seja Livre.org, Blog do Aprígio Simões, Ubuntips, Orgulho Geek,Ubuntu Games, dentre outros que você encontra aqui.

 Agora é só botar a mão na massa e ler bastante para deixar seu sistema mais que perfeito!

[]’s

Dica rápida para personalizar o GNOME 3

Ubuntu com GNOME 3 e tema Malys Universal

Ubuntu com GNOME 3 e o tema Malys Universal e NORD

Baixe o Nord (tema do GNOME Shell) aqui http://bit.ly/zPeZ8P
Baixe o tema Malys Universal aqui http://bit.ly/wgiZuC
Se quiser instalar o tema Adwaita Cupertino, baixe ele aqui http://bit.ly/zAkfTU vai ficar bacana também 😉

Após baixar os aquivos, faça um “sudo nautilus” no terminal para abrir o nautilus em modo root. Copie o conteúdo descompactado do tema NORD em “/usr/share/gnome-shell/theme” (não se esqueça de fazer um becape da pasta theme antes de fazer essa cópia).

Copie as pastas Malys Universal e Adwaita Cupertino L e SL em “/usr/share/themes”.

Feito isto, reinicie o ambiente e posteriormente, através do “gnome-tweak-tool”, faça as modificações no tema.

Para a barra inferior, instale o AWN (Avant Window Navigator) “sudo apt-get install avant-window-navigator”.

Não se esqueça, caso não tenha o GNOME 3 instalado, instale-o pelo terminal digitando “sudo apt-get install gnome-tweak-tool”, assim, os pacotes necessários serão baixados e a interface estará habilitada. Para entrar, basta na tela de login usar a opção GNOME.

[]’s

UPDATE

Para os botões maximizar, minimizar e fechar funcionarem corretamente, instale o “gconf-editor” pelo terminal “sudo apt-get install gconf-editor”. Feito isto, abra o editor seguindo o seguinte caminho: “/apps/metacity/general”  localizando a opção “button_layout”.  Mude o conteúdo para “close,minimize,maximize:” e renicie o ambiente. Assim os botões aparecerão normalmente. =)