Tag: MacBook White

Good bye! Apple

good bye

Saudações povo bacana! Pra começar, desejo a todos um 2015 repleto de realizações e muita tecnologia, especialmente para quem curte software livre, Linux e afins.

Bom, vamos direto ao assunto e sem muitas delongas. Faz tempo que quero escrever sobre isso, mas sempre deixava pra segundo plano, afinal, dar ibope para coisa ruim é melhor ficar calado. Porém, chega um momento que certas ações nos levam a uma profunda reflexão e é o momento de dar um basta. Nesse caso em especial, hoje me despeço da Apple. Pelo menos em partes!

Em 2009 entrei para o grupo de usuários do OS X. Um sonho antigo, porém realizado num momento em que os preços dos produtos da maçã no Brasil ainda eram justos. Com a aquisição do meu velho guerreiro iMac pude conhecer uma parte boa do universo UNIX. Durante este período de aprendizado e conhecimento, tive a oportunidade de trabalhar com o melhor de dois mundos Mac OS e Linux, sendo o segundo minha grande paixão.

Após o iMac veio um MacBook White, o iPad 1, 2 e o Mini Retina, além de dois iPhones (3GS e 4), os quais deixei de lado por motivos bem pessoais (iOS para este que vos escreve é bom somente no iPad). Desses, hoje o iMac e iPad Mini são os que sobraram dessa grande aventura.

Tudo bem que os produtos da Apple são muito bons, mas após o Snow Leopard ela vem se perdendo em tantas firúlas inseridas no OS X, que o sistema não é mais o mesmo. Isso falarei num próximo post, talvez.

Na verdade minha despedida da maçã é simplesmente pela falta de respeito com o consumidor brasileiro. Tá certo que os produtos são bons, mas sejamos coerentes, não vejo motivo real e justo para investir num notebook de entrada valendo mais de 5 mil Dilmas e tão pouco num celular de 2.500 reais, apesar deste não ser meu foco. Gosto mesmo é de Android!

Absurdo, imoral e incoerente. Respeito quem pode pagar essa quantia exorbitante, mas não consigo viver de ostentação. Creio que com essa grana, pode-se adquirir coisas mais importantes.

no-apple

Analisando esse aumento, coisa injustificada por sinal, acho que o mais coerente é boicotar esses produtos. É o que farei doravante. Temos boas opções no mercado e que suprem muitíssimo MacBooks e iMacs.

Por fim, isso de alguma forma me foi bastante útil. A grana guardada para o MacBook Air será investida em algo mais importante. Por enquanto me despeço da Apple com uma única certeza: mais ricos com meu suado dinheiro eles não ficarão. Não mesmo!

Que tal uma upgrade em seu MacBook White? Eu fiz e recomendo

MackBook White Unibody

Salve povo bacana. Após um pequeno intervalo sem post, não que me falte assunto, só tempo, eis que trago minha experiência recente com meu MacBook White.

Pois bem, em 2011 eu resolvi trocar meu notebook pelo MacBook. Das opções existentes acabei comprado o White. Sim, aquele branquinho que encarde muito, mas ainda consigo deixar ele como novo. Não me arrependo, mas bem que eu poderia ter desembolsado algumas Dilmas a mais e optado por um Pro.

O aparelho foi o último modelo todo branco fabricado pela Apple. É o unibody de 13 polegadas, um Core 2 Duo com 2,4Ghz e que veio com 2 GB de RAM DDR3 e um HD de 250 GB com 5.400 rpm. O grande barato dessa máquina é que ela veio equipada com uma placa de vídeo da NVIDIA, o modelo GeForce 320M de 256 MB, compartilhada com a memória principal. Em tempos de gráficos da Intel, não deixa de ser uma relíquia. Mais specs vocês podem conferir aqui.

Ao longo do uso coloquei mais 2 GB de RAM, cheguei a testar com 8, mas a diferença não foi significativa. Sim, ele suporta mais que o recomendado pelo fabricante, porém achei melhor deixar com quatro.

Posteriormente coloquei um HD de 500 GB. Melhorou bastante, afinal, eram 7.200 rpm, mas como nem tudo são flores, a cada nova versão do OS X a performance ficava sofrível.

Pesquisa daqui e dali, resolvi fazer uma upgrade mais radical. Após trocar ideias com algumas pessoas sobre o assunto e me informar bastante, resolvi aposentar o HD convencional e colocar um SSD. No início fiquei temeroso, não via com bons olhos esse tipo de armazenamento, mas após ler, reler e aprender sobre essa tecnologia e seus macetes, resolvi aderir.

SSD Corsair NEUTRON 250 GB

De todos os SSD que pesquisei, uma ressalva, o preço ainda é salgado, encontrei um modelo bacana, um CORSAIR da série NEUTRON, com 250 GB SATA 3 com um preço bem em conta. Com o HD em mãos fiz a upgrade. Me sugeriram colocar o SSD no local do SuperDrive, achei melhor não. Ainda gravo muitos CD’s e DVD’s e eu não queria capar o notebook.

Quanto a upgrade, não tem mistério, é bem simples. Quem já trocou disco rígido num MacBook não terá dificuldade nenhuma. Optei também pela instalação limpa do sistema operacional. Meus arquivos ficam num HD externo, portanto isso não seria problema. O chato é ter que ficar instalando tudo do zero e ter que fazer as upgrades gigantescas da Apple.

Uso do SSD

Resumindo a brincadeira, o notebook é outro. Impressionante como a velocidade de boot, a qual ficou em torno de dez a onze segundos para subir o sistema, bem como a abertura dos programas, que melhorou absurdamente de forma quase instantânea, inclusive os mais pesados, deu uma nova cara pro branquelo. Óbvio que estamos falando de um Core 2 Duo de 2.4 GHz, mas a performance do sistema ficou espetacularmente boa, sem falar que a bateria agradeceu, afinal, os SSD utilizam pouca energia em relação aos HD’s convencionais. Ganhei mais duas horas de carga. Com isso, o White ganhou uma ótima sobrevida. Resta saber até qual versão do OS X a Apple vai liberar para esse grande guerreiro futuramente.