Instale o app não oficial do WhatsApp no Linux

Disponível apenas para a plataforma Windows, Mac, Android e iOS, o WhatsApp ainda não chegou oficialmente para os usuários Linux. Nesse quesito o Telegram está anos luz na frente. Apesar dessa limitação, a turma do software livre não deixou por menos e disponibilizou o cliente não oficial do aplicativo para quem utiliza o sistema do pinguim.

Utilizando o Electron, framework para desenvolvimento de ferramentas em JavaScript, HTML e CSS, o que de alguma forma consome alguns mega bytes a mais, o app não oficial do comunicador mais famoso do mundo cumpre bem o que promete, podendo ser instalando tanto no Linux, Windows e Mac.

Alguns recursos encontrados no WhatsApp Desktop

– Suporte para notificações de desktop nativas

– Ícone com contagem de notificações e na bandeja do sistema

– Abrir links no navegador

– Acesso a informação do telefone

– Pesquisa dos contatos

– Opções de personalização como avatar, definição de tamanho de fonte e visualização, configurações de proxy, dentre outras.

Quer testar o WhatsApp Desktop não oficial em sua distribuição? Clique aqui e visite a página do projeto e baixe o binário correspondente ao seu sistema.

Gostou da dica? Então deixe seu comentário e até a próxima!

Anúncios

Personalizar é preciso

Um dos grandes baratos pra quem utiliza distribuições Linux é o poder de personalização. O amadurecimento do GNOME e KDE, ambientes que sofreram mudanças radicais nos últimos tempos, já permite ao usuário dar seu toque final, deixando o desktop bonito e agradável ao uso. Além dos dois ambientes citados,  o XFCE, Cinnamon, Mate e tantos outros possibilitam dar aquele gás na área de trabalho.

O GNOME, meu ambiente predileto,  com a mudança radical da versão 2 para 3, perdeu sua funcionalidade no quesito usabilidade e também no poder de personalização, fazendo com que me afastasse do projeto, buscando outras alternativas existentes. Um aspecto que deixo claro é que ainda sou apegado ao modelo janelas, visto que para as minhas tarefas, ainda é, sem dúvida nenhuma o melhor para minha produtividade.

Passei pelo KDE, XFCE, Cinnamon, Mate, LXDE e por fim o Unity, especialmente no Ubuntu 16.04, onde pude definitivamente retirar aquela barra lateral e colocar ela embaixo, deixando o desktop mais “minha cara”.

Pois bem, sempre deixei uma máquina com o GNOME instalado, onde realizo meus testes na interface, buscando uma maior otimização. O legal do GNOME Shell no entanto são as extensões. Através delas o usuário pode conseguir resultados bacanas na otimização do desktop. Assim sendo, com base nos meus últimos testes e, após um feedback positivo de algumas pessoas, resolvi descrever de forma sucinta meus ajustes até chegar ao desktop ideal. Vale lembrar que, nem sempre o que me agrada, vai te agradar, porém, a extensões que usei podem lhe ser úteis para personalizar o seu ambiente, deixando-o com a sua cara.

Para dar um toque “janelas”, o qual eu ainda sou adepto, usei a extensão Dash to Panel. Ela pega o painel superior do GNOME e posiciona-o de acordo com sua necessidade. Pode ser mantido no topo ou embaixo. A grande sacada dessa extensão é que ela permite adicionar ao painel, atalhos dos aplicativos, além de otimizar a barra de forma a distribuir melhor as informações. Você pode baixar a extensão clicando aqui.

Após instalada as extensões dash to panel e transparent gnome panel, basta o usuário configurar o painel de acordo com sua necessidade.
Configuração da extensão dash to panel com painel colocado embaixo e configurações específicas dos ícones e espaçamento.

Para dar um toque mais clean, visto que a barra permanecerá na cor preta, você pode usar a extensão Transparent Gnome Panel. Ela não tem uma configuração detalhada. Ao ser instalada ela deixa a barra transparente. Existem outras soluções para tal, inclusive possibilitado configurações avançadas, porém recomendo esta, a qual pode ser instalada por aqui.

No detalhe, o painel transparente com o uso da extensão Transparent Gnome Panel

Por fim, apesar de bonitos os ícones do GNOME, optei por algo mais moderno. Usei por um tempo os ícones FAENZA, só que uma nova variante desses ícones surgiu, a qual na minha opinião deixou a interface mais bonita. Para esse ajuste instalei os ícones Obsidian-1. No terminal digite:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons -y

sudo apt update && sudo apt install obsidian-1-icons -y

 

Pra finalizar a mudança, instalei também o tema Adapta-Gtk. Este tema trabalha com o conceito material design, o que da um toque especial na interface em conjunto com os ícones Obsidian-1. Para instalar o tema, digite no terminal:

sudo add-apt-repository ppa:tista/adapta -y

sudo apt update && sudo apt install adapta-gtk-theme adapata-backgrounds -y

 

Feito isto, basta personalizar a sua interface de acordo com sua necessidade, dando seu toque pessoal ao desktop e aplicar um papel de parede de sua preferência.

Antes de finalizar, lembre-se que para instalar as extensões do GNOME na sua distribuição é necessário instalar um plugin para o Firefox. No Chrome esse plugin já vem instalado. No Firefox, em extensões, procure por “chrome-gnome-shell” e proceda a instalação. Assim será possível instalar extensões através do site GNOME Extensions.

Gostou da postagem? Deixe seu comentário e até a próxima!

Atualizando o Adobe flash plugin no Debian 8

flash

Fala povo bacana! O post hoje é relâmpago e trata de como atualizar o plugin do Adobe Flash no Debian.

Normalmente, quando o plugin está desatualizado, o Iceweasel mostra uma mensagem sugerindo ao usuário permitir a execução do plugin ou bloquear. Para resolver isso, abra o terminal de digite como root:

#update-flashplugin-nonfree –install

O sistema vai baixar a nova versão e instalar. Após,  reinicie ou abra o navegador e pronto.

Gostou da dica? Deixe seu comentário e até a próxima.

[]’s

Dica de como instalar o Popcorn-Time no Debian sem sofrimento

Debian Popcorn-Time

A dica de hoje é bastante rápida e ensina de maneira bem simples como instalar o Popcorn-Time no Debian com GNOME sem muita dor de cabeça.

Vá ao site do projeto e baixe a versão do Popocorn-Time. Após baixar o arquivo, crie uma pasta “Popcorn-Time” na sua pasta do usuário e descompacte o aqruivo “.tar.xz” usando o seguinte comando:

tar -xJf “nome do arquivo”

Antes de continuar o processo, vale lembrar que o Popcorn-Time possui um executável e clicando no mesmo, este abre o programa normalmente. O que faremos é colocar o ícone do programa no menu de aplicações correspondente. Para isso, é necessário criar e editar o arquivo “Popcorntime.desktop” em “/usr/share/applications“. Sendo assim, abra o terminal e digite:

sudo gedit  /usr/share/applications/Popcorntime.desktop

Após digitar o comando acima, o Gedit abrirá, então digite o conteúdo abaixo:

[Desktop Entry]
Name=Popcorn Time
GenericName=Movies
Comment=Movies
Exec=/home/usuario/Popcorn-Time/Popcorn-Time %U
Terminal=false
Icon=/home/usuario/Popcorn-Time/popcorntime.png
Type=Application
Categories=AudioVideo;Filmes;

Note que, onde se lê “usuario“, este está relacionado ao nome do usuário do computador. Fique atento nesta parte!

Após inserir o código no arquivo, salve o mesmo e feche sua sessão atual. Ao voltar, o ícone estará disponível em “Aplicações/Multimídia“.

Sem título

Gostou da dica? Deixe seu comentário e até a próxima.

[]’s

Instale o MATE 1.8.1 no Ubuntu 14.04 LTS

Ubuntu Mate

O Mate é um ambiente que leva os saudosistas aos bons tempos do GNOME 2. Recentemente foi anunciado pela comunidade que a versão 14.10 do Ubuntu terá um novo membro na família o Ubuntu Mate Remix.

Para quem curte testar versões em desenvolvimento, no site do projeto Mate existem imagens do Ubuntu Mate 14.10 para serem baixadas e testadas. Já para quem usa a versão 14.04 LTS, está disponível o repositório para instalação do ambiente em sua máquina.

Vale lembrar que para a instalação do Mate 1.8.1 em seu Ubuntu, serão instalados pacotes de terceiros como visualizadores de arquivos (Caja), de imagens (Visualizador do Mate), dentre outros pacotes. De antemão isso não irá prejudicar seu sistema. Ao menos aqui tá redondinho =)

ATENÇÃO! Qualquer tipo de instalação, especialmente de programas em desenvolvimento, podem ocorrer falhas e instabilidade. Se tem certeza de que quer atualizar, faça isso por sua conta e risco!

Para instalação, com o terminal aberto, é necessário habilitar os repositórios, para isso digite:

sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/ppa
sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/trusty-mate
sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade
sudo apt-get install – –no-install-recommends ubuntu-mate-core ubuntu-mate-desktop

Ao final da instalação será perguntado qual gerenciador de login você quer usar. Como instalei junto ao Ubuntu GNOME, mantive o GDM. Saia de sua sessão atual e no campo de opções selecione o ambiente MATE. Seja feliz =)

Gostou da dica? Deixe seu comentário =)

Via OMG Ubuntu