Personalizar é preciso

Um dos grandes baratos pra quem utiliza distribuições Linux é o poder de personalização. O amadurecimento do GNOME e KDE, ambientes que sofreram mudanças radicais nos últimos tempos, já permite ao usuário dar seu toque final, deixando o desktop bonito e agradável ao uso. Além dos dois ambientes citados,  o XFCE, Cinnamon, Mate e tantos outros possibilitam dar aquele gás na área de trabalho.

O GNOME, meu ambiente predileto,  com a mudança radical da versão 2 para 3, perdeu sua funcionalidade no quesito usabilidade e também no poder de personalização, fazendo com que me afastasse do projeto, buscando outras alternativas existentes. Um aspecto que deixo claro é que ainda sou apegado ao modelo janelas, visto que para as minhas tarefas, ainda é, sem dúvida nenhuma o melhor para minha produtividade.

Passei pelo KDE, XFCE, Cinnamon, Mate, LXDE e por fim o Unity, especialmente no Ubuntu 16.04, onde pude definitivamente retirar aquela barra lateral e colocar ela embaixo, deixando o desktop mais “minha cara”.

Pois bem, sempre deixei uma máquina com o GNOME instalado, onde realizo meus testes na interface, buscando uma maior otimização. O legal do GNOME Shell no entanto são as extensões. Através delas o usuário pode conseguir resultados bacanas na otimização do desktop. Assim sendo, com base nos meus últimos testes e, após um feedback positivo de algumas pessoas, resolvi descrever de forma sucinta meus ajustes até chegar ao desktop ideal. Vale lembrar que, nem sempre o que me agrada, vai te agradar, porém, a extensões que usei podem lhe ser úteis para personalizar o seu ambiente, deixando-o com a sua cara.

Para dar um toque “janelas”, o qual eu ainda sou adepto, usei a extensão Dash to Panel. Ela pega o painel superior do GNOME e posiciona-o de acordo com sua necessidade. Pode ser mantido no topo ou embaixo. A grande sacada dessa extensão é que ela permite adicionar ao painel, atalhos dos aplicativos, além de otimizar a barra de forma a distribuir melhor as informações. Você pode baixar a extensão clicando aqui.

Após instalada as extensões dash to panel e transparent gnome panel, basta o usuário configurar o painel de acordo com sua necessidade.
Configuração da extensão dash to panel com painel colocado embaixo e configurações específicas dos ícones e espaçamento.

Para dar um toque mais clean, visto que a barra permanecerá na cor preta, você pode usar a extensão Transparent Gnome Panel. Ela não tem uma configuração detalhada. Ao ser instalada ela deixa a barra transparente. Existem outras soluções para tal, inclusive possibilitado configurações avançadas, porém recomendo esta, a qual pode ser instalada por aqui.

No detalhe, o painel transparente com o uso da extensão Transparent Gnome Panel

Por fim, apesar de bonitos os ícones do GNOME, optei por algo mais moderno. Usei por um tempo os ícones FAENZA, só que uma nova variante desses ícones surgiu, a qual na minha opinião deixou a interface mais bonita. Para esse ajuste instalei os ícones Obsidian-1. No terminal digite:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons -y

sudo apt update && sudo apt install obsidian-1-icons -y

 

Pra finalizar a mudança, instalei também o tema Adapta-Gtk. Este tema trabalha com o conceito material design, o que da um toque especial na interface em conjunto com os ícones Obsidian-1. Para instalar o tema, digite no terminal:

sudo add-apt-repository ppa:tista/adapta -y

sudo apt update && sudo apt install adapta-gtk-theme adapata-backgrounds -y

 

Feito isto, basta personalizar a sua interface de acordo com sua necessidade, dando seu toque pessoal ao desktop e aplicar um papel de parede de sua preferência.

Antes de finalizar, lembre-se que para instalar as extensões do GNOME na sua distribuição é necessário instalar um plugin para o Firefox. No Chrome esse plugin já vem instalado. No Firefox, em extensões, procure por “chrome-gnome-shell” e proceda a instalação. Assim será possível instalar extensões através do site GNOME Extensions.

Gostou da postagem? Deixe seu comentário e até a próxima!

Popcorn Time, o retorno

Recentemente o domínio popcortime.io e seu aplicativo foi retirado do ar pelos seus desenvolvedores. Isso deixou muita gente se perguntando se era o fim do serviço. Embora sabemos que esse tipo de software é abominado pela indústria cinematográfica, usuários do mundo todo usam o bittorrent para compartilhar esse tipo de conteúdo.

O Popcorn Time caiu a graça de todos pelo fato de, através de uma interface de uso simples, o usuário poder assistir os mais novos lançamentos cinematográficos sem sair de casa bem como clássicos do cinema, além das séries. Com o fim do serviço, muitos usuários esperavam algo novo.

Eis que no início de dezembro, a comunidade seu uniu e trouxe de volta o Popcorn Time, novo aplicativo que promete trazer de volta a possibilidade de assistir filmes e séries online.

Se você curtia o aplicativo anterior e quer instalar a nova versão em seu Linux, basta proceder da seguinte maneira:

No terminal digite “uname -a” para verificar qual a versão de seu sistema operacional.

Seu sistema sendo de 32 bits, baixe o arquivo aqui. Se seu sistema for de 64 bits, baixe o arquivo aqui.

Após baixar o arquivo, abra o terminal, entre na pasta onde salvou o arquivo baixado e descompacte usando o comando:

tar -xJf “nome do arquivo”

Após descompactar, entre na pasta do aplicativo e execute o seguinte comando:

$ ./install

Após isto, apenas confirme a instalação digitando “I agree” e pronto, o Popcorn Time será instalando sem nenhuma dor de cabeça em seu sistema.

Por fim, vale uma dica preciosa. Os desenvolvedores recomendam que o usuários que forem utilizar os recursos do aplicativo, usem uma VPN.

Gostou da dica? Deixe seus comentários e até a próxima!

Atualizando o Adobe flash plugin no Debian 8

flash

Fala povo bacana! O post hoje é relâmpago e trata de como atualizar o plugin do Adobe Flash no Debian.

Normalmente, quando o plugin está desatualizado, o Iceweasel mostra uma mensagem sugerindo ao usuário permitir a execução do plugin ou bloquear. Para resolver isso, abra o terminal de digite como root:

#update-flashplugin-nonfree –install

O sistema vai baixar a nova versão e instalar. Após,  reinicie ou abra o navegador e pronto.

Gostou da dica? Deixe seu comentário e até a próxima.

[]’s

Dica rápida: remover kernel antigo no Fedora 22 usando o “dnf”

Fedora

Dica rápida para remover versões antigas no kernel no Fedora 22. Atenção, só faça isso se tiver conhecimento e certeza de do que está fazendo. Se tiver dúvida não faça! Vamos lá?

Com o terminal aberto digite:

sudo dnf remove kernel

Após o comando, o sistema deverá retornar algo assim:

Removing:
kernel x86_64 4.0.4-301.fc22 @System 0
kernel x86_64 4.0.4-302.fc22 @System 0
kernel x86_64 4.0.4-303.fc22 @System 0

Transaction Summary
===========================================
Remove 3 Packages

Installed size: 0
Is this ok [y/N]: N
Operation aborted.

Após retornar a saída acima, digite “N” para abortar a ação, caso contrário todas as versões do kernel serão removidas. Observe que existem três versões  instaladas. Sendo assim, repita o comando digitando:

sudo dnf remove [versão do kernel a ser removido]

sudo dnf remove kernel x86_64 4.0.4-301.fc22

Repita a operação para as demais versões instaladas, deixando a mais recente.

Gostou da dica? Deixe seus comentários e até a próxima =)

[]’s

Instale o GNOME 3.16 em seu Ubuntu

GNOME 3.16

Que tal instalar a mais nova versão do GNOME em seu Ubuntu? O GNOME 3.16 é a versão mais recente desse fantástico ambiente de trabalho. A cada lançamento a interface vem ganhando mais refinamento e ficando mais rápida e bonita. Para saber mais sobre a versão 3.16 do GNOME clique aqui.

Quer instalar a versão 3.16 em seu Ubuntu? Então vamos lá. Digite CTRL + ALT + T para abrir seu terminal e digite:

sudo add-apt-repository ppa:gnome3-team/gnome3-staging [enter]

sudo add-apt-repository ppa:gnome3-team/gnome3-staging [enter]

sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade -y [enter]

Após o sistema verificar todas as dependências, ele baixará em torno de 170 MB e procederá a instalação da versão mais nova do GNOME. Ao terminar, reinicie seu computador e usufrua da mais nova versão do GNOME.

Atenção! Essa atualização foi feita no Ubuntu GNOME 15.04. Não foram realizados testes em versões anteriores. Se for atualizar, faça por conta em risco. Algumas atualizações podem danificar seu sistema. A instalação em meu notebook ocorreu sem nenhum problema e o sistema está funcionando plenamente.

Gostou dessa dica? Então deixe seus comentários e até a próxima!