O mundo mágico do livro digital

Kindle Paperwite

Hoje baixei o centésimo livro no site da Amazon. Todos os dias, ao abrir minha caixa de mensagens, recebo em média três emails da empresa de Jeff Bezos sugerindo obras com base em minhas preferências. A mineração de dados deles funciona muito bem e eles veem acertando as sugestões e claro, me agradando muito, especialmente em relação aos preços. Normalmente os títulos sugeridos estão relacionadas ao tipo de leitura que me atrai. Gosto de biografias, ficção, suspense, uma boa dose de terror e história, de preferência a brasileira. Nada como aprender sobre nossas origens. Já fazem dois anos que comprei meu Kindle e posso afirmar que foi a melhor aquisição feita nos últimos tempos.

Esse ano entrei mais uma vez de cara na leitura. Leio em média um a dois livros por mês. Priorizei desde o início do ano títulos bem interessantes e venho dedicando parte de meu tempo ao prazer de ler. Abdiquei da televisão, eu diria a TV aberta. Já faz um bom tempo que não perco tempo com as bobagens das principais emissoras do país. Anda faltando programação de qualidade. O pouco de tempo que sobra entre um livro e uma pausa, me divirto com a programação do Discovery Channel, History, BIO, Nat Geo/Wide e claro, as séries da HBO e Fox.

Desde que comprei o Kindle adquiro livros na loja da Amazon. Opto sempre pelas dicas em sites de leitura e principalmente as promoções. E acreditem, são muitas. O conforto de poder escolher o título e ler uma amostra sem sair de casa é espetacular. Isso tanto no Kindle quanto no software para PC e Mac. Tenho certeza que o leitor digital chegou numa hora oportuna. Minha cidade não possui livraria. Até que eu poderia ir a biblioteca e pegar algum livro emprestado, mas nem sempre vou encontrar aquele lançamento ou aquela dica. Daí a opção pelo livro digital. A comodidade é tão grande que vicia. Compro em média dois a três livros por mês, além das promoções e os livros gratuitos. Hoje mesmo saiu a promoção de uma obra bacana, a custo zero. Não titubeei, corri lá e baixei.

Pelas minhas estatísticas no Skoob, rede social voltada para leitura, já li uma quantidade bacana de livros. Óbvio que muitos eu não cadastrei. Isso se deve ao esquecimento, afinal, li muito na época de estudante e acaba ficando algo no limbo. Ao todo já são 24.412 páginas em 70 livros cadastrados e lendo mais um. É bom frisar que não leio para obter números e recordes. Isso é prazer mesmo. Me espanta porém é que apesar de toda essa facilidade que a Amazon propicia com o Kindle, e não só ela, mas também a Livraria Cultura com seu Kobo e a Saraiva com o Lev, muitos ainda relutam em migrar para os livros digitais. É bom sentir o papel na mão e o cheiro de livro novo, isso porém deixo pra depois. Caso goste da obra, compro o livro físico posteriormente. É bom ter um exemplar na estante e isso ajuda o autor também.

Em tempos de sociedade conectada, acredito que o leitor digital é um acessório que deixou de ser luxo. As facilidades são muitas. Imagine carregar em um só dispositivo uma centena de livros? Me espanta porém o desinteresse do brasileiro pela leitura. Segundo matéria veiculada no site do Jornal da Globo, sete a cada dez brasileiros não leram nenhum livro no ano de 2014, o que corresponde a 30% dos entrevistados, número inferior ao ano de 2013, que registrou 35%, segundo pesquisa realizada pela Federação do Comércio do Rio de Janeiro. Isso é preocupante!

Não gosto de ler

Ainda estamos bem distantes do ideal quando o assunto é leitura. Infelizmente o brasileiro em sua essência morre de preguiça de ler. Com isso ele perde a oportunidade de enriquecimento intelectual, aprimoramento de sua fala, escrita e o principal, sair do ostracismo cultural. Enquanto existirem preguiça, desinteresse, novelas, Esquentas, Zorras e outras banalidades, isso ainda vai demorar muito a mudar e nosso país sofrerá com a falta de cultura.

E você, o que anda lendo? Conte pra gente e participe de nossa discussão sobre o assunto.

Até a próxima []’s

Como alterar a barra superior no Gnome Shell

gnome

O GNOME Shell é uma interface que vem amadurecendo a cada release, mas sempre fica aquela pergunta, quando vão deixar o usuário customizar o ambiente como as versões anteriores? A dica de hoje é bem rápida e objetiva, vamos instalar uma extensão que possibilitará dar um toque mais bacana na barre superior do GNOME.

Acesse este link e baixe a extensão Activies Configurator. A instalação é bem simples, bastando habilitá-la em seu navegador.

Captura de tela de 2015-03-01 17:57:19

Após a instalação, abra o programa “Ferramentas de ajuste do GNOME” e clique no ícone de configuração da extensão conforme a imagem abaixo.

Captura de tela de 2015-03-01 17:59:04

Ao abrir a caixa de configuração, você pode combinar várias configurações para o painel superior, bastando modificar os padrões estabelecidos. O bacana é que pode ser habilitada transparência, o que deixa o GNOME mais bonito.

Gostou da dica? Deixe seus comentários.

Até a pŕoxima []’s

Momento nostalgia: Que tal emular o Atari em seu computador?

atari_logo_2_by_dhlarson-d5qqh2m

De todas as minhas boas lembranças do tempo de criança, e isso faz tempo, o Atari é talvez aquele que mais me deixa nostálgico. Já se passaram mais de trinta anos e ainda continuo fã desse video game.

Inspirado pelo último post, acabei instalando o emulador de Atari para lembrar os bons tempos em que ficávamos horas e horas nos divertindo no River Raid, Enduro, Dechatlon, Box e tantos outros jogos. Desde já reafirmo que não gosto de jogos no computador, mas neste caso quebrei essa regra, afinal, o que é bom, fez sucesso e ainda mexe com as lembranças dos quarentões e quarentonas da vida, sempre pode ganhar mais um fã.

Para quem quiser instalar o emulador do Atari no Debian e derivados, abro o terminal CTRL + ALT + T e digite:

sudo apt-get install stella

Para demais sistemas operacionais e versões linux, você pode baixar o binário no site do projeto.

Terminada a instalação, é hora de acessar o programa a partir do menu ou dash.

Captura de tela de 2015-01-11 09:33:43

Quando aberto, o programa entrará na tela principal. Vale ressaltar que até aqui não existe nenhum rom instalado, sendo necessário baixá-los. Googlando você encontrará uma série de sites que oferecem centenas de ROMS para download.

Captura de tela de 2015-01-11 09:33:50

Feito o download das ROMS, basta localizar a pasta onde foram salvas e escolher o seu jogo preferido.

Captura de tela de 2015-01-11 09:39:11

Acessando o menu opções do programa, você pode configurar o video, som  e controles dos jogos.

Captura de tela de 2015-01-11 09:41:50

Após todas as configurações, as quais são bem simples, basta selecionar seu jogo preferido e se divertir a valer. Boa diversão!

Captura de tela de 2015-01-11 09:21:47

Gostou deste post? Deixe seu comentário e até a próxima!

[]’

Instale o simulador de corrida Speed Dreams no Ubuntu e Fedora

speed-dreams-20-car-ls1 Gosta de simuladores de corridas? Então este post é para você! O Speed Dreams é um simulador de corridas open source e está na versão 2.1, com novas pistas, diversos carros, muitas novidades e melhorias. O software originou-se no já conhecido TORCS, porém, devido a sua equipe de desenvolvimento, atingiu um nível bem superior. Características:

  • 3D em tempo real
  • Física precisa de segmentação, máximo realismo possível
  • Gráficos de alta qualidade
  • Novos carros e pistas disponíveis
  • Totalmente aberto para pesquisa, estudo ou trabalho docente (física, AI, gráficos, etc..)
  • Suporte para vários dispositivos de entrada (teclado, joypad, joystick, roda, etc…)
  • Roda em Windows e Linux (WIP no Mac OS X)

speed-dreams-20-menue-05 Segundo o anúncio, a versão 2.1 inclui um novo motor de física (V4), com uma escolha de 33 carros, 25 pistas, incluindo circuitos de Grand-Prix, cursos de estrada e pistas ovais. Para conhecer mais sobre o projeto, visite o site clicando aqui. Para instalar o Speed Dreams no Ubuntu 14.04 abra o terminal (Ctrl + Alt + T) e digite:

sudo add-apt-repository “deb http://archive.getdeb.net/ubuntu trusty-getdeb games”

wget -q -O- http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add –

Para instalar no Fedora digite:

sudo yum install speed-dreams.x86_64

Terminada a instalação, basta acessar o aplicativo através do ícone e se divertir a valer. Gostou deste post? Deixe seus comentários! Via: Ubuntu Handbook

Good bye! Apple

good bye

Saudações povo bacana! Pra começar, desejo a todos um 2015 repleto de realizações e muita tecnologia, especialmente para quem curte software livre, Linux e afins.

Bom, vamos direto ao assunto e sem muitas delongas. Faz tempo que quero escrever sobre isso, mas sempre deixava pra segundo plano, afinal, dar ibope para coisa ruim é melhor ficar calado. Porém, chega um momento que certas ações nos levam a uma profunda reflexão e é o momento de dar um basta. Nesse caso em especial, hoje me despeço da Apple. Pelo menos em partes!

Em 2009 entrei para o grupo de usuários do OS X. Um sonho antigo, porém realizado num momento em que os preços dos produtos da maçã no Brasil ainda eram justos. Com a aquisição do meu velho guerreiro iMac pude conhecer uma parte boa do universo UNIX. Durante este período de aprendizado e conhecimento, tive a oportunidade de trabalhar com o melhor de dois mundos Mac OS e Linux, sendo o segundo minha grande paixão.

Após o iMac veio um MacBook White, o iPad 1, 2 e o Mini Retina, além de dois iPhones (3GS e 4), os quais deixei de lado por motivos bem pessoais (iOS para este que vos escreve é bom somente no iPad). Desses, hoje o iMac e iPad Mini são os que sobraram dessa grande aventura.

Tudo bem que os produtos da Apple são muito bons, mas após o Snow Leopard ela vem se perdendo em tantas firúlas inseridas no OS X, que o sistema não é mais o mesmo. Isso falarei num próximo post, talvez.

Na verdade minha despedida da maçã é simplesmente pela falta de respeito com o consumidor brasileiro. Tá certo que os produtos são bons, mas sejamos coerentes, não vejo motivo real e justo para investir num notebook de entrada valendo mais de 5 mil Dilmas e tão pouco num celular de 2.500 reais, apesar deste não ser meu foco. Gosto mesmo é de Android!

Absurdo, imoral e incoerente. Respeito quem pode pagar essa quantia exorbitante, mas não consigo viver de ostentação. Creio que com essa grana, pode-se adquirir coisas mais importantes.

no-apple

Analisando esse aumento, coisa injustificada por sinal, acho que o mais coerente é boicotar esses produtos. É o que farei doravante. Temos boas opções no mercado e que suprem muitíssimo MacBooks e iMacs.

Por fim, isso de alguma forma me foi bastante útil. A grana guardada para o MacBook Air será investida em algo mais importante. Por enquanto me despeço da Apple com uma única certeza: mais ricos com meu suado dinheiro eles não ficarão. Não mesmo!