Rompendo os últimos grilhões

Amanhã começo a pegar novamente no batente, estava curtindo minhas merecidas férias e volto ao trabalho com a expectativa de que não serei transferido de cidade. Estamos no caso de mudar de endereço e isso me agrada e também não me agrada. A oportunidade é boa, só que para o momento não seria uma idéia muito interessante. Os motivos são muitos, o mais forte é ter que deixar a família, namorada e tentar correr atrás para não ficar prejudicado em minha faculdade. Isso é uma história longa, mas em resumo, com base na nova “política” de segurança do governo de Minas Gerais, estão querendo transferir a sede da Região da PM aqui de minha Bom Despacho para Divinópolis. Fico triste em ver que a sociedade daqui não se preocupa com essa perda e não se mobiliza, afinal, estamos falando em uma sede Militar que está instalada no município a 30 anos e tem toda a estrutura necessária para continuar onde está. Vai entender nossos políticos né!

A parte boa dessa mudança é que Divinópolis é uma cidade promissora, tem boas oportunidades. O foda é que não tem como eu transferir minha faculdade. Então isso é ruim. Mas não irei me preocupar com esses detalhes, afinal hoje tenho que comemorar e posso dizer que sou um sujeito literalmente livre. Isso mesmo, desde quando iniciei minha aventura no universo de código livre, diga-se Linux, sempre tive vontade de não depender mais do Windows e seus produtos. Por mais que eu me esforçasse, ainda sim era obrigado ver “janelas” em meu desktop. Não tenho nada contra o Windows, iniciei meus conhecimentos usando a versão 3.11 só que hoje, optei em usar o Linux pela flexibilidade que o sistema me proporciona, por que gosto e principalmente pela robustez.

Ano passado até tentei ficar livre da plataforma proprietária, mas devido a algumas matérias da faculdade, acabei tendo que adiar meus planos.

Sempre usei os dois sistemas em dual boot. O que não conseguia no Linux, buscava no Windows, mas desde já quero deixar bem claro, o que eu não conseguia eram coisas relacionadas na maioria das vezes ao trabalho e estudos. Em meu dia-a-dia uso o Linux sem nenhum problema.

Apesar de me sentir livre devido a essa mudança, ainda vou conviver com a plataforma fechada por um bom tempo. Pelo menos em meu trabalho ainda não sinalizaram que irão mudar para o Linux, apesar de já existir o Alferes Linux, na área de Geoprocessamento e Estatística não existe uma ferramenta em software livre adotada pela instituição. Torço que descubram uma bem rápido.

Anúncios

Um comentário sobre “Rompendo os últimos grilhões

  1. PM-Amigo 30 de setembro de 2008 / 20:28

    Caro colega, boa tarde….

    É com grande prazer que venho lhe dizer, que as plataformas SPSS e MapInfo, já se encontra disponiveis para nossa querida arquitetura livre.

    De uma vasculhada no nosso querido Google, e vc encontrara muitas referencias.
    Caso necessite tenho o SPSS 16 for Linux.

    Boa sorte.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s