O maravilhoso dd

Esse fim de semana eu não postei como queria. Tive que dar uma organizada em meu notebook e acabei priorizando a manutenção e de quebra tive que arrumar um tempinho para estudar um pouco.

Como estou fazendo faculdade, tenho que conviver com o dual boot em meu portátil. Existem algumas aplicações específicas para o Windows e não tem como fugir. Pelo menos no período acadêmico. Fazer o que né?

Pois bem, depois de quase um ano sem manutenir a partição Windows, já era hora de dar uma organizada no negócio. Como de costume um bom backup e muito delete. Feito isto, esbarrei num problema que muitos usuários iniciantes enfrentam, ou seja, reinstalando o Windows, o GRUB some e o Linux não é reconhecido.

Existem vários caminhos para sanar esse pequeno inconveniente. Ou seja, quando o Windows apaga a MBR muitos usuários pensam que o Linux foi deletado também. Mas não é bem isso.

Anteriormente eu criava um disco de recuperação e pronto. Mas dessa vez optei por um processo bem mais simples e prático uma vez que o meu módulo de disco flexível não estava comigo.

Para quem não conhece, o ‘dd’ é um programa que cria imagens de dispositivos, copiando os dados bloco a bloco. (Veja mais sobre o comando usando as páginas de manual – digite ‘man dd’ em um terminal)

Já a MBR (master boot record) é um espaço de 512 bytes que fica no início do disco rígido, que acomoda gerenciadores de boot como o LILO e o GRUB.

Como efetuei o processo de instalação na partição, consequentemente os dados da MBR foram apagados. Antes porém, criei uma cópia da MBR utilizando o dd com o seguinte comando:

# sudo dd if=/dev/hda of=mbr.img count=1 bs=512

No meu caso, o disco é reconhecido como SDA. Mantive o comando acima porque boa parte dos usuários usam dual boot em eus PC’s e na maioria das vezes o disco é reconhecido como HDA. A não ser que ele seja SCSI ou SATA.

Até aqui beleza! Entrei na pasta correspondente, copiei a imagem para um pendrive e formatei a máquina.

Após a instalação, configuração e pequenos acertos no Windows, era hora de gravar novamente o GRUB na MBR. Com o CD do Ubuntu, dei o boot e entrei normalmente. Em um terminal acessei o pendrive e digitei o seguinte comando para gravar o GRUB novamente na MBR:

# sudo dd of=/dev/hda if=mbr.img

Pronto! Isso tudo me menos de 10 minutos, sem ter que ficar criando discos de recuperação e sem perder o acesso ao meu Ubuntu.

Existem ainda algumas opções de comando, como por exemplo criar uma imagem à partir de um disquete:

# sudo dd if=/dev/fd0 of=disquete.img

e criar um disquete à partir da imagem:

# sudo dd of=/dev/fd0 if=disquete.img

Você pode ainda, caso tenha essa necessidade, clonar um disco rígido ou uma partição usando o dd.

No exemplo abaixo, vamos clonar o conteúdo de HDA em HDB. Porém uma obervação: Os discos devem pelo menos ser do mesmo tamanho.

# sudo dd if=/dev/hda of=/dev/hdb

Bom, agora que está tudo reestabelecido, vamos voltar ao batente.

Anúncios

5 comentários sobre “O maravilhoso dd

  1. Julio 23 de setembro de 2007 / 18:53

    muito bacana esse artigo, vai me ajudar muito

    Curtir

  2. Aruanan Avelino 25 de novembro de 2008 / 12:03

    Olá a todos.

    Todos os posts ajudam muito; sejam eles PERGUNTAS ou RESPOSTAS. Quem sabe um de vcs. não possa me ajudar.

    Tenho uma instalação DUAL-BOOT, VISTA/Ubuntu 8.04.1 (ainda, não posso mudá-la para a 8.10). Bem, como minhas instalações – tanto do Ubuntu, qto. VISTA -, são cheias de configurações especiais e detalhadas, resolvi utilizar o PARTIMAGE para fazer as imagens das partições do meu HD. Tranquilo; consegui fazer as imagens (mesmo usando como destino uma partição NTFS/VISTA). Para utilizar o PARTIMAGE e fazer as imagens, eu usei o LiveCD SystemRescueCD (http://www.sysresccd.org/Main_Page).

    Todavia, após a gravação das imagens, ao dar boot na minha máquina, uma surpresa: não apareceu o GRUB! Tentei de todas as formas que eu podia recupera-lo (usando, inclusive, o LiveCD Super Grub Disk (http://www.supergrubdisk.org/). Não consegui nada e, infelizmente, tive de voltar o MBR do VISTA, via CD de carga do WV (opção de recuperação bootrec.exe /FixMbr) e reinstalar completamente o Ubuntu 8.04.1.

    A mensagem que tinha tanto após a utilização do PARTIMAGE quanto do Super Disk Grub, era erro 17. Estudei tudo sobre este erro, mas na realidade não eram erros de apontamento de dispositivos o que estava acontecendo. O Super Disk Grub informava, tb., internamente à sua execução, um erro 6 = formato não reconhecido. O Super Disk Grub achava os sistemas, mostrava o GRUB normal (o que eu perdera durante a utilização do PARTIMAGE), mas qdo. eu selecionava a partida pelo Ubuntu, ela dava o mesmo erro 17.

    Preciso de ajuda quanto a isso, pois que, senão, não poderei mais utilizar o PARTIMAGE.

    Só mais uma informação: após ter instalado o VISTA, reparticionei o HD deixando uma partição para o Ubuntu. Na instalação do mesmo, informei a partição e tudo correu de acordo com o esperado. Todavia, ao voltar ao VISTA e olhar como estava a partição Ubuntu, vi que ele dividiu o espaço em 3 partes:

    a) uma área menor, que era reconhecida pelo VISTA e tinha formato NTFS;
    b) uma área maior que o VISTA não conseguia dar qq. nome, formatada como partição primária (que é onde o Ubuntu estava realmente instalado);
    c) uma área pequena que o VISTA tb. não conseguia dar qq. nome, formatada tb. como partição primária (que, creio eu, seria a área de SWAP do Ubuntu).

    Fiz mais dois testes (fiz um monte de instalações e testes para isolar cada uma das coisas – deu um trabalhão enorme!):

    TESTE 1 – Destrui o volume que cito no item”a” acima. Ao ReBootar a máquina o GRUB simplesmente desapareceu e não consegui recuperá-lo novamente (o mesmo erro 17… e, se usando o super Disk GRUB, internamente à sua execução, o mesmo erro 6 – formato desconhecido);

    TESTE 2 – Numa segunda passada (após novas instalações do VISTA e do Ubuntu para trazer a máquina para uma situação original), simplesmente renomeei a mesma área “a” citada acima. NOVAMENTE, sumiu o GRUB e os mesmos erros voltaram a se manifestar.

    O erro 17 informa erros de apontamento na sequência de HD´s instalados e boot, mas – como disse antes -, estas configurações estavam corretas.
    O erro 6 (interno ao Super Disk GRUB) informa sobre FORMATO NÃO RECONHECIDO. O intrigante é que na lista de partições (obtida via LiveCD Ubuntu, via FDISK -l, cat /proc/partitions, CFDISK e mesmo GParted), ele reconhecia o formato ext3 do Ubuntu e me dava todas as informações corretamente, mas ao utilizar o Super Disk GRUB, ele informava FORMATO DESCONHECIDO.

    Desculpem pelo tamanho do meu post. Eu sou da área de pesquisa e desenvolvimento científico de inovações tecnológicas e, por isso, aprendi a reportar o máximo e o melhor possível os fatos que acontecem numa determinada pesquisa ou prospecção. Creio que o que coloco aqui possa, tb., ajudar a outras pessoas.

    Finalizando: afinal, pq. minha máquina não reconheceu mais o GRUB após as minhas tentativas? Onde fica realmente o GRUB numa instalação Ubuntu/Vista? O que é o erro 17, realmente? Pq. o formato ext3 reconhecido pelo Super Disk GRUB num momento, não é reconhecido pelo mesmo CD qdo. se pede para BOOTAR o S.O. (erro 6 = formato desconhecido)?

    Agradeço a todos e me coloco a disposição para aprendermos juntos todas estas nuances.

    Obrigado,
    Aruanan

    Curtir

  3. Wendell 25 de novembro de 2008 / 14:57

    Olá Aruanan

    estranho esse comportamento, porém existem vários fatores que podem estar contribuindo com esse problema. Primeiro, qual a marca de sua máquina? é um norebook? Já li alguns relatos no qual alguns notebooks com o vista instalado não permitem a instalação do Linux, a MBR, local onde fica armazenado os dados das partições é ocupada pelo gestor de boot do Vista e não permite a instalação do Linux. Isso presenciei em um notebook Acer.

    Quanto a sua última pergunta, o MBR é o responsável pelas informações das partições, programas de boot como o Grub e Lilo. No caso, seria interessante verificar se a sua máquina está na lista negra de PCS ou Notes que vêem com esse inconveniente e pesquisar soluções. Esse Acer que relatei acima, veio configurado para não aceitar o Linux o XP nem gravar o GRUB. Fizemos diversos testes e não conseguimos encontrar uma solução.

    Disponibilize informações de seu hardware, isso vai facilitar a pesquisa para alguma solução e permitirá outros que aqui freqüentam, ajudar no processo de solução de seu problema.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s